Afagos e Dengos - Ateliê Bebe em Porto Alegre

Whatsapp     (51) 3517-4952 - (51) 99127-9650       Facebook     /afagosedengosateliebebe       Email     contato@afagosedengos.com      

Quem Somos

Atuamos no mercado de decoração infantil desde 2005 com o intuito de oferecer aos nossos clientes um atendimento diferenciado. Temos a disposição uma equipe qualificada, designers talentosos que trazem novidades feitas somente pela a Afagos e Dengos, assim como móveis, decoração, papéis de parede, enxoval, lembranças para maternidade, bolsas e claro a confecção própria de Kits de berço e Kits de cama de Babá. Ambientes confortáveis e aconchegantes que trazem idéias dos quartos que desejamos para seus bebês. Visite nossa loja no Shopping Praia de Belas e descubra um mundo novo, onde transformamos seus sonhos em realidade.

Nosso Blog

Seja para brincar ou para fazer uma tarefa escolar, o grafismo na infância está presente desde muito cedo. Basta que a criança consiga empunhar um giz de cera para que ela comece a se expressar. Veja como enriquecer ainda mais esse momento

 

De repente, o papel branco ganha rabiscos, formas e cores. A mão, ainda tão pequena, faz  os desenhos mais diferentes que você já viu na vida.

- Mãe, olha, fiz um jacaré!

 

Você, claro, sorri, diante daquele monte de traços malucos espalhados pelo papel. Toda criança gosta de desenhar e, apesar de parecer apenas uma brincadeira, isso faz parte do desenvolvimento do seu filho. Tanto é que uma pesquisa feita pelo Instituto de Psiquiatria da Universidade Kings College London, no Reino Unido, mostrou que o desenho pode ser um indicador da inteligência de cada um no futuro.

 

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores analisaram 15.504 crianças de 4 anos. Os pais pediram que elas fizessem um desenho, que recebeu uma nota em uma escala de 0 a 12. Essa pontuação levou em conta se a criança desenhava o corpo humano completo, ou seja, com cabeça, tronco, pernas e braços.

 

Dez anos mais tarde, quando os desenhistas já tinham 14 anos, eles passaram por um teste de inteligência. Os cientistas, então, perceberam que, quem teve notas mais altas nos desenhos feitos aos 4 anos, também foi melhor nas avaliações.

 

Segundo a pesquisadora Rosalind Arden, que liderou o estudo, os pais não precisam se preocupar se a criança não desenha bem, já que existem outros fatores fundamentais, como a genética e o ambiente, para o desenvolvimento da inteligência. “O mais importante é oferecer todos os recursos para que a criança desenhe à vontade, o quanto quiser”, explica o pedagogo Lino de Macedo, membro do Instituto PENSI (Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil), do Hospital Infantil Sabará (SP).

 

O que seu filho aprende desenhando

 

Enquanto desenha, seu filho adquire muitos aprendizados. O primeiro deles é controlar o giz de cera, o lápis ou a caneta. Usar o dedo indicador e o polegar, em um movimento de pinça, é resultado do desenvolvimento da coordenação motora fina. Ao escolher o que desenhar, mesmo que os traços sejam entendidos apenas por ele, a criança está expressando seus pensamentos. Sim, desenhar é uma forma de comunicação. “É uma maneira de demonstrar sua percepção do mundo à sua volta, da situação que está vivendo”, diz a educadora Lisie De Lucca, coordenadora de cultura do Colégio Porto Seguro, em São Paulo.

Diferente do desenvolvimento motor, por exemplo, em que os passos se tornam cada vez mais firmes com o passar do tempo, o desenho não apresenta um crescimento linear. Ou seja, seu filho pode voltar a fazer garatujas (traços iniciais) mesmo que já tenha aprendido a desenhar algumas formas. Não há problema algum nisso. “É importante que os pais não tentem direcionar os traços para o ‘jeito certo’ ou ‘mais bonito’”, alerta a educadora Suzy Vieira de Souza, coordenadora de Educação Infantil do Colégio AB Sabin (SP). Muitas crianças chegam ao Ensino Fundamental com a expressividade bloqueada justamente por causa desse corte que tiveram na infância.

Além disso, é comum ver pais e mães preocupados com o desenho do filho, fazendo quase uma leitura psicológica. Vale lembrar que esse tipo de interpretação cabe apenas a profissionais habilitados, como psicólogos e psicopedagogos, em ambientes como consultórios, que possuem outras ferramentas para uma correta análise.

 

Como incentivar


Ofereça materiais diversos
Papéis coloridos e de diferentes tamanhos e gramaturas, giz de cera, lápis de cor, canetinhas, tintas e pincéas. É importante que a criança tenha acesso a variados materiais para desenhar, criar e se expressar. Cada um vai proporcionar um desenho diferente. Quanto maior a variedade, mais experiências.

 

Aumente o repertório
Leve seu filho ao parque, a exposições de arte, a museus, ao zoológico. Mostre fotografias e conte histórias apresentando as ilustrações do livro. É assim que ele aumenta as referências (e a criatividade) para desenhar.

 

Ajude-o a observar e reparar nos detalhes
Procure despertar o olhar do seu filho. Use o cotidiano. Chame a atenção dele para uma janela grande, para as cores da água do mar, até para o desenho no chão com as gotas de água saídas de um regador, por exemplo. Descubram juntos texturas, formatos de folhas e de nuvens...

 

Proponha um desafio
Durante um desenho em família, ofereça um tema para o seu filho. Pode ser um animal ou uma situação. Mas resista à tentação de criar modelos, ou seja, comparar o seu trabalho com o dele, corrigir ou mostrar qual é o mais bonito.

 

Para desenhar, use papéis em branco
Para que seu filho possa usar a própria criatividade livremente, o ideal é que ele tenha acesso a papéis em branco. Só dessa forma, ele pode fazer o que quiser. Quando você oferece um desenho para ele colorir, ele passa a entender que aquele é o modelo certo e bloqueia sua imaginação. É claro que, de vez em quando, não há problema algum pintar um desenho, mas desde que isso não se torne uma regra, ok?

 

Fonte: Revista Crescer

 

 

Se nestas férias você está planejando levar o seu bebê à praia é importante tomar alguns cuidados com o sol, vestuário, alimentação e principalmente com acidentes que podem ocorrer como, por exemplo, queimaduras do sol, afogamento ou mesmo o desaparecimento do pequeno. Para muitos pode parecer exagero, mas basta se descuidar por um minuto para coisas sérias acontecerem, principalmente se o seu bebê já estiver andando.

Foi pensando nisso que o Mundo Mulheres separou algumas dicas para que você possa aproveitar ao máximo suas férias na praia junto ao seu bebê.

 

O bebê pode tomar banho de mar?

Até os três meses de vida, a imunidade do bebê é bem baixa, então até que ultrapasse esse limite, os médicos não recomendam que seja exposto à água do mar. Outro fator é que nesta idade os bebês não gostam de água fria e o contato com a água do mar pode ser bem desconfortável para eles.

O ideal mesmo é que ele entre na água salgada a partir dos 6 meses, lembrando que os pais primeiro devem se certificar da qualidade da água e principalmente da limpeza da praia, pois como a imunidade dos pequenos ainda é baixa, ele pode contrair problemas de pele e até doenças mais sérias.

 

Qual o melhor horário para ir à praia com o bebê?

Independente se você vai com o bebê ou não, o melhor horário para ir à praia é sempre antes das 10 horas da manhã e após as 16 horas. Isso porque fora desses horários o sol é muito mais forte, podendo causar queimaduras e insolação, principalmente em bebês que são bem mais frágeis.

 

Qual o melhor horário para ir à praia com o bebê?

Independente se você vai com o bebê ou não, o melhor horário para ir à praia é sempre antes das 10 horas da manhã e após as 16 horas. Isso porque fora desses horários o sol é muito mais forte, podendo causar queimaduras e insolação, principalmente em bebês que são bem mais frágeis.

 

O bebê pode usar protetor solar?

Segundo especialistas somente bebês acima de 6 meses podem usar protetor solar, pois sua pele ainda é muito fina, sensível e permeável, estando sujeita à intoxicação pelas substâncias químicas do protetor. Então os bebês mais novos devem evitar ao máximo o sol, sendo que o ideal é mantê-lo sempre na sombra de preferência com roupa de algodão e linho de cores claras, além de um chapéu. Vale ressaltar que o guarda-sol não evita que os raios solares passem por ele, então a sombra do guarda-sol não é confiável.

 

O que dar de comer para o bebê na praia?

Segundo especialistas é melhor evitar dar alimentos de barracas e ambulantes, e principalmente sorvetes de marcas desconhecidas. O ideal mesmo é levar para a praia em uma bolsa térmica comidas e bebidas de casa ou mesmo do hotel em que possa estar. Vale lembrar que até a água de coco natural que é vendida na praia pode ser perigosa para o seu bebê, pois alguns locais podem não fazer o armazenamento correto do coco. Os alimentos mais recomendados para levar na praia caso o seu bebê já se alimente com comida sólida são bolacha de água e sal e maisena, biscoitos de polvilho, frutas, água, suco e água de coco.

 

O que não pode faltar na sacola do bebê?

Alguns itens são fundamentais para que o seu bebê possa ficar o mais confortável e protegido possível, por isso é importante arrumar a sacola do bebê com um pouco de antecedência para ter certeza de que não irá esquecer-se de nada. Confira as nossas sugestões.

Caso o seu bebê já sente e também brinque, baldes, pás e brinquedinhos de areia não podem faltar.

Chapéu ou mesmo boné não podem faltar, pois são indispensáveis para a proteção da cabeça do bebê, mesmo que esteja de baixo do guarda-sol e com protetor solar.

Fraldas também não podem ficar de fora, pois caso faça xixi ou cocô e não for trocado logo, as chances de assadura devido ao calor são bem maiores.

Lenço umedecido são grande aliados das mães nas trocas de fralda, além de ajudarem na limpeza das mãozinhas e pezinhos que podem ficar sujos.

Piscina inflável pequena pode ser uma boa alternativa para refrescar o seu bebê, mas é preciso ficar sempre junto e ter cuidado com a quantidade de água de irá colocar.

Lembre-se também de levar sempre mais que uma toalha para que o bebê possa se secar e ainda improvisar um cantinho limpo quando o sono do pequeno bater.

Outro item indispensável em determinados tipos de praia é o repelente, que irá conter o ataque dos insetos. Mas vale lembrar que existe formulas especiais para bebês, e não deve ser aplicado em bebês abaixo de 6 meses.

 

Você provavelmente já reconhece quando seu bebê precisa de algo ou está com alguma dor por causa do choro. Mas você sabe quando ele está se sentindo feliz? Cada vez que ele sorri, segura na sua mão ou simplesmente a olha calmamente, pode ser um sinal de que ele está melhor do que imagina. "O vínculo familiar estimula a criança a ser mais tranquila, o que é um sinal de bem estar", afirma Tânia Shimoda, pediatra assistente do Instituto da Criança, do HC de São Paulo. Veja mais alguns sinais.

 

Aconchego

O toque da mãe e do pai faz a criança se sentir confortável. É por isso que muitas vezes o bebê chora quando é examinado por algum médico, ou quando está próximo a outras pessoas, mas fica calmo no colo dos pais. Essa interação é importante e a proximidade da família tranquiliza e deixa o bebê feliz.

A movimentação

A linguagem corporal do seu filho pode ser um sinal do que ele está sentindo. “Nos bebês com um pouco mais de controle para sentar, ele vai direcionar a movimentação do corpo para a mãe, ou vai engatinhar em direção a ela”, diz a pediatra. A presença dos pais é um estímulo e a resposta a ele é sinal de uma criança saudável.

 

Objetos coloridos

Através de uma estimulação visual, com um objeto colorido ou com algum brinquedinho como um chocalho, o bebê sorri e vai a procura desse objeto. “Se for um bebê menor ele movimenta a cabeça, se for um bebê maior, ele vaestender a mãozinha. O bebê que já engatinha, vai atrás”, afirma Shimoda.

 

A voz

O bebê que balbucia palavras na hora que você fala com ele também está “falando". Ele sente prazer em ouvir uma voz familiar de carinho. Se ele sorri a qualquer interação, é outro indício de que está contente.

 

Dormir bem

A criança que tem um sono tranqüilo e uma alimentação adequada expressa maior contentamento. Quando os pais mostram um alimento e o bebê abre a boca ou se movimenta para pegar, é um sinal de que reconhece o estímulo. O sorriso dessa interação diz tudo.

 

Rafa Brites emocionou fãs e seguidores ao publicar uma bonita homenagem ao marido, Felipe Andreoli, na tarde deste domingo (19). Tudo começou quando o jornalista e apresentador publicou uma foto da mulher dormindo ao seu lado, enquanto ele cuidava do filho do casal, Rocco: “Bloco do lençol branco. Certeza que quando a Rafa Brites der uma olhada nessa foto vai querer me matar“.

A apresentadora publicou sua resposta algumas horas depois, em uma declaração muito doce e alguns pontos para refletir: só a mãe sabe cuidar do bebê? O pai faz errado ou faz diferente? Como pode ser essa relação?

Confira o texto na íntegra:

 

Pai não ajuda. Pai divide.
Pai não faz favor. Apenas faz.
Pai não fala a frase: 'Hoje estou de babá'.
Pai não carrega só bolsa do bebê, o carrega.
Não é o motorista enquanto a mãe vai no banco de trás. Essa posição pode inverter também.
Pai não pede pra mãe se pode fazer isso ou aquilo com o filho.
Pai de primeira viagem não era pai tanto quanto a mãe não era mãe. Eles aprenderão juntos. Isso não quer dizer que o banho seja da mesma forma. Que a fralda fique igual.
O pai não tem medo de errar. De derrubar, de afogar. Afinal de contas é o seu filho. Ele tem instinto. E essa palavra não deve ser usada apenas para as mães.
Pai lê os livros. Frequenta os cursos, não por medo dos hormônios da esposa grávida, ele quer, ele presta atenção. Anota. Pai senta no bar com os amigos e fica mostrando fotos do seu filhote. Ele cuida da recém mamãe. Ele ajuda na casa. O pai de menino vai ensinar seu filho a ser gentil, doce. Sua filha a ser forte, guerreira e vice e versa. Sem diferenças.
Eu amei conhecer o pai do meu filho.
Eu me entrego ao sono em paz pois a outra metade está ali… @andreolifelipe
Eu cuido de você. Você de mim.
E nós, dele”

O chá de fraldas é um momento especial para a mamãe e pode ficar ainda mais legal com as brincadeiras. Por isso, selecionamos 18 brincadeiras para chá de bebê ou chá de fraldas. Confira e divirta-se!

 

Baby Bingo
Os convidados vão receber cartelas com palavras ligadas ao mundo dos bebês. Então, a mamãe irá escrever as palavras que estão nas diversas cartelas e colocá-las em um recipiente. A gestante começa o sorteio, retirando uma palavra por vez e lendo-as em voz alta.  Quem completar a cartela primeiro ganha! O vencedor pode receber um brinde fofo.

 

Adivinhação do presente

Para adivinhar o presente vale chacoalhar, apertar, só não pode abrir. A cada erro a mamãe precisa pagar prendas, como ter que beber algum líquido não alcoólico de uma mamadeira, ter o rosto ou barriga pintados, etc.

 

Adivinhe quem deu

Antes de darem os presentes, cada convidado pode colar uma folha com algumas dicas sobre si, como: magrinha e engraçada. Os convidados podem pedir que outras pessoas escrevam a descrição no papel para que a mamãe não reconheça o convidado pela letra. Quando receber o presente ou fralda a mamãe terá que adivinhar quem deu com base nas dicas. A cada erro, ela deve pagar uma prenda, como ter que beber algum líquido não alcoólico de uma mamadeira, ter o rosto ou barriga pintados, etc.

 

Qual o tamanho da barriga?

Dê fitas de presentes para cada convidada. Elas devem cortar as fitas no tamanho que acham que tem a barriga da mamãe. Depois, as convidadas colocam a fita em torno da barriga da gestante e descobrem quem acertou.  O vencedor pode ganhar um brinde!

 

Baby stop

Cada convidada recebe um papel e caneta, quando a mamãe disser já, “as competidoras” devem escrever o maior número de palavras possíveis sobre o universo dos bebês.  Tudo isso deve ocorrer dentro de um limite de tempo determinado pela mãe, como um minuto. Quando der o tempo, a mamãe deve falar “Baby stop” e quem escrever mais palavras ganha!

 

Cápsula do futuro

Separe papel e caneta para que as convidadas e os pais possam escrever mensagens para o bebê ler no futuro. Esses papéis são colocados em um recipiente, pode ser um pote com tampa, uma caixa que possa ler lacrada ou um cofre. Os pais e as convidadas combinam uma data futura para abrirem a caixa e podem tirar uma foto para registrar o momento especial.

 

Convidados vendados

Separe fitas para vendar os olhos das convidadas. Com os olhos vendados, elas devem fazer um desenho do bebê. Ganha quem fazer o melhor desenho.

 

Papai vendado

O papai será vendado. Então, ele terá uma missão, pode ser trocar a fralda de um boneco ou colocar a roupinha no boneco, entre outras. Sem enxergar, ele vai depender dar orientações da mamãe para realizar as tarefas!  

 

Sopa de letras

Recorte as letras que formarão uma palavra relacionada ao mundo materno, por exemplo, as letras: F, R, A, L, D, A, S. Embaralhe essas letras e apresente as convidadas para que elas adivinhem a palavra.

 

Troca de fraldas

Cada convidada deve trocar a fralda da boneca no menor tempo possível, elas não devem esquecer de limpar o bumbum e passar a pomada! Quem for mais rápida ganha!

 

Conselhos e mensagens fofas

Dê papel e caneta para as convidadas e peça para que elas escrevam mensagens fofas ou conselhos para a futura mamãe. Depois a mamãe pode ler cada texto em voz alta e depois a autora revela sua identidade.



Produtos em destaque

Vídeos em Destaque

Nossa Localização